COMEÇANDO A TERAPIA DE ATIVAÇÃO COMPORTAMENTAL PARA A DEPRESSÃO  

 

Depressão é um problema que pode ser um círculo vicioso para muitas pessoas. Você pode estar experienciando a depressão pela primeira vez ou pode já a estar experienciando há muitos anos. A depressão pode ser sentida como se você tivesse uma doença. Os sintomas da depressão são: sentir-se “lento” mentalmente e fisicamente, ficar cansado com facilidade, ter sentimentos de culpa e auto reprovação, tristeza. À medida que você se sente depressivo você faz menos e menos e culpa a si mesmo por estar agindo dessa maneira. Como se torna mais difícil fazer as coisas, você se torna mais e mais depressivo. 

 

Ainda que a depressão tenha sido chamada de a “gripe” dos problemas psicológicos, é importante frisar que sua depressão não é o resultado de algum defeito pessoal ou um processo de uma doença mental. A depressão é frequentemente um sinal de que alguma coisa deve ser mudada em sua vida. A maioria das pessoas consegue reconhecer alguns incidentes ou uma série de incidentes que foram o gatilho para o surgimento de sua depressão. Alguns incidentes são relacionados à perda de um amor próximo, a perda de um sonho, poucas conquistas, dificuldades diárias que parecem irremediáveis e dificuldades de relacionamento. Quando as pessoas ficam depressivas, ao invés de mudar as situações que poderiam levá-las a se sentir melhor, tentam “sumir” e evitar o mundo. Gradualmente a depressão se torna pior e não somente os problemas situacionais mas a própria depressão em si passa a se tornar um problema. É nesse ponto que muitas pessoas entram em terapia. 

 

ENFRENTANDO O PROBLEMA 

 

Alguns diferentes tratamentos para a depressão vêm sendo desenvolvidos. Um tratamento efetivo é chamado de Ativação Comportamental. Com seu terapeuta você vai trabalhar para quebrar o ciclo da depressão através do engajamento em atividades que melhorarão sua produtividade e seu humor. Contudo, você não vai se engajar em qualquer atividade. Seu terapeuta irá ajudá-lo a identificar e a perseguir as circunstâncias que têm relação com a sua depressão: ações em sua vida que você parou de se ter desde que se tornou depressivo mas gostaria de se envolver novamente, ações que você teve para evitar o mundo e os outros ao seu redor, as principais situações que você gostaria de mudar com o objetivo de viver uma vida mais produtiva. Seu terapeuta, em comum acordo, trabalhará guiando suas atividades em direção a objetivos específicos que irão ajudá-lo a enfrentar sua depressão e a viver uma vida mais satisfatória. Não é possível mudar as situações em sua vida que lhe levaram a depressão sem primeiramente interromper o processo de evitação e inatividade em que você caiu desde que começou a se sentir depressivo. Você pode quebrar o ciclo da depressão através da atividade guiada. 

 

Atividade é mais do que “apenas faça isso”, de acordo com o senso comum corrente. Quando as pessoas se sentem deprimidas, fazer as coisas que manteriam a vida correndo bem soa como algo difícil, se não impossível. Por isso é bom ter um “treinador” ou um “guia” na pessoa do seu terapeuta. As atividades que são significativas para você e para a sua vida é o que é importante. Por exemplo, uma pessoa pode gostar de viver em um ambiente limpo, mas sente-se muito deprimida para lavar a louça. Se lavar os pratos, não importando como ela se sente, ainda se sentirá triste, mas terá tido uma importante melhora porque sua casa estará limpa. De outra forma, uma mulher que tem um chefe rígido que estipula demandas nada razoáveis, pode se omitir e não defender suas ideias. Promover a assertividade em relação ao chefe pode ser uma atividade que lhe beneficiará. As atividades na Ativação Comportamental são variadas e seu terapeuta irá lhe ajudar a encontrar as atividades certas que têm chance de ajudar a aliviar a depressão ou fazer você se sentir com mais controle sobre a sua vida. 

 

VANTAGENS DE SER ATIVO

 

As vantagens de se tornar ativo, a despeito dos sentimentos depressivos, são claras. 

 

Atividades guiadas podem levar à melhora de humor. Ativando você mesmo, não importando a depressão, pode lhe dar um senso de controle sobre sua vida. Você pode achar que algumas atividades são agradáveis se tentá-las, mesmo se inicialmente tiver achado que nada poderia trazer satisfação. Mesmo aquelas atividades que não são agradáveis podem lhe dar um senso de conquista de algo que valeu a pena. 

 

Atividades guiadas podem quebrar o ciclo da fadiga. Frequentemente quando as pessoas estão deprimidas elas se sentem cansadas e esgotadas. Este pode ser uma maneira de evitar o mundo. Paradoxalmente, ficar na cama e tirar “um sono extra” frequentemente resulta em um maior cansaço. Atividades guiadas, ainda que você se sinta bastante cansado, podem fazer você se sentir “energizado” e “renovado”. Esse é um efeito oposto a quando você está depressivo e se sente cansado por outra razão. Por exemplo, quando se está depressivo, se você se engajar em atividades como os afazeres domésticos, poderá finalizar se sentindo bem pela tarefa cumprida e “energizado” para as outras atividades. Por outro lado se não está depressivo, mas esteve trabalhando por muitas horas necessitando tirar um tempo livre, iniciar um serviço doméstico o deixará mais cansado, pois seu corpo estará lhe dizendo que precisa descansar. Quando se está depressivo, mesmo quando seu corpo lhe diz que precisa descansar, você precisa se ativar.

 

TRATANDO A DEPRESSÃO 

 

Atividades guiadas podem levá-lo a se sentir motivado. Muitas pessoas que estão depressivas pensam que “apenas precisam se tornar mais motivadas”, mas os sintomas da depressão bloqueiam essa motivação. Portanto se a pessoa espera se tornar motivada, ela espera em vão. Ironicamente, o engajamento em atividade mesmo quando você se sente desmotivado em fazê-lo, pode lhe tornar motivado. Nós chamamos esse trabalho “de-fora-para-dentro”. Em outras palavras, você não espera se sentir como se estivesse fazendo algo antes de fazê-lo, ao contrário, você se engaja em uma atividade porque tem um compromisso. 

 

O engajamento em uma atividade quando se está depressivo não é fácil. Pode ser difícil para você organizar seu tempo adequadamente ou se envolver em atividades que normalmente gosta. Algumas vezes uma atividade se torna tão difícil quando se está depressivo que até as coisas básicas se tornam difíceis. Seu terapeuta entende isso e irá trabalhar para ajudá-lo a reconhecer as coisas que o colocam em direção à ativação, ajudando-o a contornar os obstáculos. 

 

O tratamento irá ajudar a contornar os problemas em sua vida que inibem sua atividade produtiva. Você irá aprender a como monitorar sua vida, a olhar para as atividades diárias como se fosse um “rico tapete”. Você irá aprender como certos sentimentos estão entrelaçados a certas atividades. Irá aprender a como aumentar as atividades que o deixam se sentindo melhor. Atividades orientadas para a melhoria da qualidade de vida farão você se sentir menos depressivo porque lhe trarão mais satisfação, ou porque simplesmente você se sentirá mais produtivo e no controle das coisas. 

 

Seu terapeuta irá ensiná-lo a como planejar as atividades, como reconhecer as barreiras que inibem a atividade produtiva e como incorporar novas atividades na rotina de modo que elas venham a se tornar novos hábitos que melhorarão a qualidade de vida. Seu terapeuta irá orientá-lo no uso da “agenda de eventos diários” e no uso do “roteiro de atividades” que irá lhe ajudar nesse processo. Você será convidado a continuar o trabalho iniciado em sessão durante a semana entre sessões. Você e seu terapeuta irão definir as atividades que irão somar ao processo de se tornar mais ativo. Seu terapeuta será o seu guia. Ao final você poderá concluir que o “se tornar ativado” como uma forma de enfrentar a depressão pode operar mais eficientemente no mundo e que sua vida começou a “entrar nos eixos”. Dar o primeiro passo e vir à terapia foi sua primeira atividade guiada. Os outros passos serão mais fáceis do que você imagina.

 

 

*Adaptado de Martell e colaboradores (2001). 

Desenvolvido por Paulo Abreu